Todo ano, 1,35 milhão de pessoas morrem em acidentes de trânsito

O percentual de mortes por acidentes de trânsito é assustador e de acordo com pesquisas nacionais e internacionais, esse número só tem crescido. Muitos fatores podem justificar esse crescimento de acidentes fatais no trânsito e os dados partem direto dos órgãos responsáveis.

Você sabia que existem alguns estados do país em que o trânsito mata mais do que as armas de fogo? O número anual de mortos é tão surpreendente nessas regiões que alguns especialistas estão tendo propor soluções que amenizam essas ocasiões, seja na criação de pistas mais funcionais, na melhoria da iluminação ou na instalação de radares de velocidade.

Mas o que chamou a atenção dos especialistas da área foi o fato do percentual de mortos não está somente associado a essas regiões que eram consideradas violentas no trânsito. Dados indicam que o crescimento dessas situações foi geral, inclusive, partindo para o âmbito internacional.

No Brasil, o Danos Pessoais por Veículos Automotores Terrestres (DPVAT) destina bilhões às vítimas de acidente que precisam de indenização e de acordo com o órgão, a pensão por morte para os parentes lesados têm tido um crescimento considerável. Isto quer dizer que, os acidentes de trânsito têm sido cada vez mais letais.

É provável que o DPVAT 2020 seja ainda mais solicitado para que pessoas prejudicadas por algum tipo de acidente sejam indenizadas. O valor mais alto a ser recebido pelo benefício, que é referente a pensão por morte, é de R$13.500 a ser pago aos parentes diretos da vítima.

Isso é quando falamos do DPVAT, que é um órgão público, mas é preciso considerar ainda a porcentagem de brasileiros que dependem de uma seguradora privada. Nesse caso, a somatória pode ser ainda mais chocante em relação aos acidentes de trânsito, mesmo não sendo letais.

Como esse fato é de teor internacional, muitos países já começaram a tomar providências sérias para reverter esse cenário violento nas ruas. Mais de 20 países já implantaram medidas de trânsito, como fiscalização e leis mais rigorosas, a fim de minimizar esse percentual de vítimas fatais.

A lei que tem ficado mais rigorosa é a que abomina a condução de veículo sobre o efeito de qualquer bebida alcoólica, pois afinal, esse é um dos fatores que mais causa ocorrências no trânsito. A expectativa é que as medidas de segurança possam surtir efeito em pouco tempo.

Infelizmente, no Brasil, as medidas ainda não foram propostas para que o trânsito se torne mais seguro e o DPVAT gaste menos dos cofres públicos. A proposta mais recente do presidente Jair Bolsonaro em relação ao trânsito foi a anulação da lei da cadeirinha e o aumento do limite para pontos na carteira, de 20 para 40.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *