Corte de verbas na educação: Como isso pode te afetar?

Quem está acompanhando as movimentações políticas deste ano, deve ter notado algumas mudanças radicais que têm deixado os brasileiros atentos.

Um das principais ocorrências no momento é referente ao corte de verbas na educação. Afinal, de que forma isso irá nos afetar? Acompanhe o texto a seguir e passe a entender o assunto:

O Governo do Presidente Jair Bolsonaro representou grandes mudanças, e isto não se dá só a mudança de partidos e objetivos políticos, mas como a atuação de suas medidas.

De acordo com alguns líderes políticos, os cortes foram necessários para reverter a situação econômica e reerguer o país. Mas como será que isto afetará o brasileiro?

Vamos começar falando das instituições federais de ensino superior. Algumas de nossas universidades são reconhecidas como as melhores da América Latina, bons exemplos são Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Cerca de 33% da verba educacional é destinada para estas instituições e isso é revertido em bolsa de iniciação científica, incentivo ao estudo, corpo docente, manutenção, pesquisa, entre outros aspectos.

Com o corte de gastos com a educação, as universidades declaram ser difícil manter o patamar de qualidade e é temido que as instituições sejam rebaixadas no ranking de universidades de referência.

O Governo é responsável pelo gasto anual do estudante da rede pública, tanto para o ensino básico como para o ensino superior. Teme-se que os índices de melhoria conquistados voltem a retroceder.

E isto pode estar afetando diretamente nas vagas ofertadas pelos vestibulares. A expectativa é que os vestibulares 2020 estejam mais concorridos e menos se gaste com os candidatos selecionados.

Além disso, é possível considerar quase nula a possibilidade dos estudantes de universidades públicas estarem participando de programas como o de intercâmbio.

O mesmo pode ser dito para os programas de intercâmbio do ensino médio, aplicado em alguns estados. Temos como exemplo o Programa Ganhe o Mundo (PGM) e o Programa Gira Mundo da Paraíba.

A universidade também terá problemas para a manutenção de prédios, salas e para a distribuição de bolsas de monitoria, pesquisa e iniciação científica.

Essas consequências podem afetar diretamente na qualidade da universidade pública e nas avaliações do Ministério da Educação (MEC).

A mesma queda na qualidade pode ser esperada para os hospitais universitários, mantidos em todos os estados a partir de verba pública.

Em relação aos incentivos por parte da educação em lazer e cultura, as previsões são bem negativas pois os cortes estarão limitando o acontecimento deles.

fonte

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *